''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




terça-feira, 10 de agosto de 2010

GLEISIE


Gleisie
Em outubro fará dois anos que Gleisie esta
comigo.
Ja contei neste blog como a encontrei, mas
resumindo, ela foi abandonada muito doente
com mais ou menos uns 50 dias de vida,numa
pracinha aqui perto de casa.
Alguém da vizinhança se preocupou em juntar
duas lajotas de calçada e lhe proporcionar um
''semi abrigo'' e jogava algum resto de comida.
Gleisie estava com sarna, carrapatos, suas
patinhas muito machucadas e inchadas, sua pequena
cauda havia sido cortada possivelmente com uma
faca e crianças ou alguém tinha perfurado
seu abdomem com um graveto ou coisa parecida.
Assim Gleisie foi apresentada aos ''humanos''.
Humanos de todas as religiões que moram ao redor
da praça onde foi abandonada.
As fotos que seguem abaixo foram registradas no dia
em que a deixei na clínica.




A levei para a clínica veterinária onde ficou
algumas semanas. Segundo a veterinária já havia
sinais de que iria adquirir sinomose,caso tivesse
ficado um dia mais abandonada.
Numa das fotos, Gleisie olha
pela janela como se não quisesse mais viver,
como se não mais valesse a pena ou como quem
olha e se pergunta, se afinal, existe ainda
alguma esperança la fora.

A foto acima tirei no seu primeiro dia em casa.
Depois de quase vinte dias internada na clínica
Gleisie finalmente recebeu alta e começou a viver.
Ganhou não apenas uma nova casa, mas amigos e
muito carinho.

Após sua refeição e após exaustivamente ter
pela primeira vez brincado com o novo amigo,
Gleisie dormiu a noite inteira, tranquila,
pela primeira vez.

Apesar de não terem ficados sequelas, nos primeiros
meses Gleisis teve uma espécie de raquitismo.
Devido ter ficado exposta muito tempo ao frio e
a falta de comida. Pode ser visto na foto acima
que suas perninhas eram bem tortas.
Mas com o tempo, muito sol e alguns remédios
a base de cálcio, o problema desapareceu.

Na foto acima Gleisie e Dingo, seu primeiro
grande amigo,aliás,põe grande nisso.

Acima, ela brincando com os bebes
Panda e Dexter. Gleisie estava com quase
um ano naquela época,muito brincalhona e
sempre se deu bem com todos os outros cães,
até com cães estranhos.

A medida que eles iam chegando,logo recebiam
as boas vindas de Gleisie. Foi assim com Pinguim,
da foto acima, atualmente com quem mais brinca e,

também com Baby ao seu lado nesta foto.

Bom, esta é Gleisie e sua história.
Centenas de cães passam diariamente e sofrem
como Gleisie sofreu.
Será que custa tanto fazer um pouquinho?
Será que a vida de um animal não vale mais nada?
Aqueles que se dizem ''fiéis e religiosos'', será
que se esquecem que um animal também é criatura e
criação deste mesmo Deus ao qual veneram e dizem
respeitar?
Como podem querer respeitar seus semelhantes se
nem ao menos conseguem respeitar a vida de um
pequeno cãozinho?
Como tem coragem de dizer que amam a Deus?

Do fundo do meu coração acredito que estas pessoas
que nada fazem e as pessoas que abandonam seus
animais,um dia serão interrogadas por nosso Deus e,
as perguntas serão as mesmas que acabei de colocar.

Siegmar

Um comentário:

  1. Outra história comovente. Como lembro do estado dela naquela época. E hoje é linda e alegre. Que Deus te abençôe.
    Tere.

    ResponderExcluir