''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O PEQUENO GIGANTE DINGO



Este é o Dingo.
Mais um dos milhares de filhotes abandonados, ou
melhor, descartados na rua como se fossem lixo.

Dingo foi jogado do outro lado da rua
em frente a minha casa, em abril de 2008.
Deveria ter no máximo uns 2 meses de idade.
Estava com o femur fraturado, não iria muito longe
se conseguisse caminhar direito.

Um costume engraçado que Dingo manteve enquanto
filhote, foi a sua maneira nada comum de manter
as orelhinhas coladas juntas, em forma de chapéu.
Nesta foto Dingo estava com uns quatro meses de
vida. Atualmente, praticamente ficou do tamanho
do Felipão que esta ao seu lado nesta foto.

Dingo começou a crescer, lugares por onde
costumava entrar e sair da casa se tornaram
repentinamente pequenos demais.

Em sua cadeira preferida, Dingo também ja não
cabe mais, nem forçando.

O entra e sai pela porta dos fundos também
ja deixou de ser possível, mas ainda da para
ao menos dar uma espiadinha para ver se a bóia
esta chegando.

O jeito agora é tirar umas sonecas e se divertir
com a turma olhando os gatos.

Sempre juntos, atentos ao menor barulho. É um
corre pra cá e corre pra lá.

Só durante a hora da soneca é que as coisas
acalmam um pouco.

Bom, esta é a história do pequeno que virou
gigante.Seu coração para com os outros cães
também é gigante, ele nunca atacou ou brigou
com nenhum dos outros cães e muito menos pessoas.
Com Dingo, eu também cresci um pouco mais como
ser humano.

Com dingo, as pessoas que o abandonaram se
tornaram minusculas perante nosso Deus.
Estou falando de vidas, de pequenas criaturas
com almas dadas e criadas por Deus.
Culpo cada vez mais nossas religiões pelo
abandono, são elas que deveriam acima de tudo
concientizar seus ''fiéis'' seguidores do
grande São Francisco de Assis, santo ao qual eu
admiro muito, que abandonar um animal a própria
sorte é algo mais do que sórdido e um crime.
(Siegmar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário