''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




segunda-feira, 6 de junho de 2011

CADA UM COM SUA MANIA, UM POR TODOS E TODOS POR UM

Pelé e Karol, na real deveria se chamar Romeu e Julieta, mas quando os reclhi já tinha recebido seus nomes. Um sofá pequeno demais para dois, mas garanto que ao menos estão com as bundinhas aquecidas. Os buracos no sofá são obra da Miucha. Já perdi a conta de quantos sofás comprei nos últimos doze anos.

Esta é a Gleisie, a enfermeira de todos os outros. Machucou? Lá esta Gleisie fazendo curativos. Graças a ela já descobri pequenos ferimentos em alguns, que se não fosse por vê-la lambendo o local, jamais acharia.
Cada um deles tem uma mania ou peculiaridade que o outro não tem. Incrível como são parecidos e diferentes ao mesmo tempo.

Banho de sol de inverno é muito disputado. Até o ultimo raio de sol é procurado, cada pedaço do terraço é aproveitado enquanto o sol se move. Felipão, Pinguim, Miucha, Nina e Bonnie que o digam.



Até a recem chegada Pipa já descobriu o caminho secreto na porta, para sair e tomar aquele banho de sol. Recolhi Pipa ontem. Foi abandonada em frente de casa. Creio que irá morar com uma vizinha que se encantou com ela. Mas primeiro será castrada e se recuperar da castração.



Tigrinha é a mais timida de todos. Sempre com uma carinha meio injuriada e com cara de infeliz. Deve ser do signo de cancer. A eterna vitima, sem sorte e sempre a ultima a receber atenção.
Mas na realidade vive sendo mais paparicada do que os outros, até pode dormir no sofá algumas vezes, mas a carinha continua a mesma.


Tuffi é a mimadinha. Por ser a mais velha das pequenas, recebe uma atenção especial, sempre pode dormir do meu lado e não gosta quando outra tenta tomar o seu lugar. Mas tem um grande coração, nunca resmunga quando outros lhe roubam a melhor parte da comida e parece sempre guardar um pouco do melhor para a Pitchulinha.

Espeto, apesar de não aparentar, é o mais velho de casa. 14 anos sem dúvida, mas ágil como um coelho, mulherengo, mesmo sendo castrado e um grande dorminhoco. Gosta de dormir dentro do guarda roupa. Escureceu, jantou, pronto, quem quiser encontrar Espeto, basta olhar no guarda roupa.


Dingo, o bebezão da casa. Um eterno bebe, literalmente falando. Brincalhão, alegre, destruidor, barulhento, medroso e impossível passear com ele sem ser quase arrastado. Pura malandragem, o grande fazedor de buracos na parede. Mania que graças a Deus esta começando a perder.
Mas mantenha a rede elétrica longe dele. Cabos de antena e de telefone? Melhor manter fora da vista do grandão.

Tiquinha, quando era filhote, foi a cópia exata do Dingo. Sofás, roupas no varal, cabos, tigelas, plantas, tudo era mastigável e merecia ser destroçado. Engordou, envelheceu e hoje só quer mesmo dormir e passear, mas passear de dez em dez metros e aí, deitar e dar uma cochilada.


Panda é meio maluca. Brincar é com ela mesmo. Correr e provocar as outras é seu esporte preferido, melhor, atazanar a vida do meu gato é que é seu esporte preferido. Se pudesse, estraçalhava ele. Mas ele sabendo disso, mantém uma boa distância. Mas basta ele tentar passar despercebido, e olha que gato é silencioso, Panda esta sempre atenta e pronta para correr a assustar o coitado.

Pitchulinha é a minha xodó. Esta com um grande tumor debaixo do bracinho dianteiro. Já passou por tres cirurgias. Desta vez optei por não mais faze-la passar pelo sofrimento de mais uma. Segundo a veterinária, toda a perninha dianteira precisaria ser amputada.
Optei por não fazer. Enquanto estiver feliz, comendo e sem dores, tudo bem. Sei que é difícil decidir isso, mas quando chegar o momento em que as dores ou o sofrimento começar, eu lhe darei uma morte digna e ficarei com ela até o ultimo segundo.
Mas ela é forte e ainda estará comigo por um bom tempo.


Ritinha, essa aí é o capetinha em pessoa. Se alguém quiser uma cadelinha que quer apenas correr, brincar e pular, se possível 24 horas por dia, é ela. Quando preciso dar minhas broncas ocasionais, ela é uma das causas, a outra é o Baby, foram feitos um para o outro, ainda não descobri, qual dos dois é mais maluco. Digamos que seja empate técnico.

Céci por outro lado, é a dama e a educação em forma canina. Dócil com todos, muito carinhosa, me lembra muito a Dama do filme A Dama e o Vagabundo. Quando esta no jardim, parece ser a cadela mais brava da vizinhança, corre para lá e para cá pela cerca querendo morder a todos que passam, mas na real, quer apenas chamar atenção, se alguém resolve parar, lá esta ela pedindo ser acariciada. Mutio espertinha e burrinha ao mesmo tempo. Afinal, se não fizesse tanto estardalhaço, receberia bem mais carinhos dos que passam.


Finalmente, Baby. Minha cruz e meu castigo, ele e a Ritinha. Dois capetinhas em forma canina. Não sei se não, mas se existe certo tipo de retardo em cães, estes dois possivelmente são dois acometidos por este retardo. Nunca entendem o que quer dizer NÃO, para eles tudo é sim, até as broncas são motivo de festas e mais barulho.
Mas é impossivel não amar cada um deles como se fosse unico. Impossivel viver sem eles, impossível mesmo!
(Siegmar)

Um comentário: