''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O SORRISO DE MINHA MÃE

O SORRISO DE MINHA MÃE

E chega ao fim 2013. Muita coisa aconteceu neste ano que termina, algumas boas, outras nem tanto, umas serão esquecidas e outras lembradas para sempre.

Minha mãe será lembrada para sempre e de alguma forma estará presente a cada dia dos anos que me restarem, sempre estará, até o reencontro.
Minha mãe faleceu em abril deste ano, depois de anos de ausência quase total de memória, ela partiu.
Por quase 13 anos ficou sob os cuidados de minha irmã, dos quais, os últimos 3 anos completamente dependente.
Aqui preciso antes de continuar agradecer a minha irmã e dizer que a amo muito, apesar de tantas vezes parecer tão distante e como se em outra vida. O que a minha irmã fez por nossa mãe, duvido que alguém tenha feito nesta vida por algum idoso.
Minha mãe recebeu todos os cuidados e todo o amor imaginável durante estes anos. Nunca, nem uma unica vez sequer, entrei no quarto dela e senti algum odor desagradável, como muitas vezes é comum em quartos de idosos dependentes. Não, ela vivia cheirosa e perfumada, sempre limpa como um pequeno bebe de colo.
Minha irmã lhe dava banhos, lhe trocava as fraldas, preparava com carinho a alimentação especial, a alimentava colherinha por colherinha, vivia lhe dando sucos e água a cada instante que algumas vezes eu dizia a minha irmã que ela estava exagerando.
Dizer que minha irmã foi forte é pouco, eu jamais poderia ter feito ou conseguido fazer algo assim, mesmo por minha mãe, mas sempre que eu podia fazer algo, eu procurava faze-la sorrir, era a unica coisa que eu podia fazer e me restava fazer.

Na imagem, minha mãe parece estar chorando, sim, ela estava chorando, chorando de tanto rir. Suas lembranças estavam desaparecendo cada vez mais, muitas vezes até perguntava quem era eu, mas lampejos sempre a traziam de volta. Nesta imagem eu a estava fazendo lembrar e sorrir, lembrar de velhos momentos da minha infância e o fazia com caras e caretas, ela lembrava, sorria cada vez mais, até as piadas e lembranças se transformarem em verdadeiras lágrimas de alegria. Algumas vezes completava as lembranças que também já havia esquecido. Impossível esquecer estes sorrisos e estas lágrimas de alegria.

Tenho saudades dela, saudades de seus doces de Natal, seus pasteis, suas sobremesas e seu pão sempre fresquinho saindo do forno. Sua janta me esperando ao chegar em casa, sempre pronta e com alguma novidade.
Aprendi muitos valores com meus pais, meu lado crítico posso dizer que herdei dela, como também meu lado sério, e dizer o que penso sem medo, mesmo algumas vezes estando errado. A alegria devo ao meu pai. Devo a eles a honestidade, minha educação, o respeito por pessoas e o amor pelos animais.
Mas acima de tudo, devo a ela minha vida, estou aqui e amo viver, graças a ela ter me dado esta vida e forças que só agora começo a entender cada vez mais.

Hoje não farei mais nenhuma outra postagem, a lembrança é somente dela, pertence a ela.
Como filho, falhei muitas vezes, mas ela jamais falhou como mãe, mesmo quando seus ensinamentos me confundiam e suas palavras pareciam ásperas e rudes demais. Só posso agradecer a Deus por te-la me dado como mãe. Por ter me dado os pais que tive e a irmã que eles também me deram.
Com 90 anos completos, em abril ela partiu,
cercada por aqueles que a amaram e cuidaram dela até o último instante, com amor, carinho e dedicação.

Ainda posso escutar seus sorrisos e sentir suas lágrimas rolarem de tanto rir, como escuto algumas vezes as gargalhadas de meu pai. Estão juntos em algum lugar, e um dia, e disso tenho certeza, todos iremos nos reunir novamente, e sorrir junto e juntos chorar de alegria.
Te amo mãe, poucas vezes te disse isto em vida, mas você sabia disso, me mostrou que sabia disso, em cada lágrima de alegria derramada naquele dia.
(Siegmar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário