''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




sábado, 8 de setembro de 2012

LAPSOS DE MEMÓRIA E DE TEMPO

Quando eu era menino, tinha medo do escuro, tinha medo das sombras, da solidão e de alguns adultos.
Quando me tornei adolescente, o medo foi embora, nada mais eu temia. Descobri que o escuro não esconde fantasmas, que nas sombras não existiam monstros, que a solidão não existia e que todos os adultos eram pessoas velhas e caretas.

Mas o tempo passou e me mostrou uma nova realidade, me mudou e ou ele mudou e agora, diante do lento caminhar em direção a velhice, descubro o que realmente eu devo temer.
Hoje tenho medo da claridade, da luz, quero e almejo a solidão e tenho medo das crianças que vejo crescerem ao meu redor.

Crescem numa vida vazia, onde não mais importam os amigos, estes, quando existem, são apenas para exibir quem tem mais e quem pode mais. Não importa mais o brincar de esconde esconde, o conversar cara a cara, o correr e gritar. Não, as vejo com celulares nas mãos e quando chegam em casa, se isolam com seus ipods e computadores, conversam através de maquinas, onde cada vez mais expõe seus segredos.

Sim, tenho medo da luz, a escuridão e as sombras não me assustam mais, pois a maldade, a crueldade, agora se apresenta em plena luz do dia. A solidão igualmente não assusta mais, pois ela me permite refletir e ainda pensar meus próprios pensamentos.

Os adultos, eu os compreendo agora, eles sentiam o que estava por chegar sem entender, entre explicações da psicologia e filosofia, se davam por satisfeitos. Tudo tinha uma explicação, mas a verdade, apenas em alguns ficou.
O que está por chegar, rapidamente se aproxima e não mais pode ser detido, a fúria incontrolável, o destino injusto e cruel, será ele mesmo assim injusto e cruel? Ou será apenas a conta que todos precisaremos pagar? Sim, a terra treme a cada instante e a cada instante também aumenta a indiferença e a cegueira coletiva. Melhor assim, poucos irão saber e entender.
Percebo as ciladas, vejo as armadilhas, até falo, alerto e aviso, mas ninguém mais ouve, ninguém mais enxerga e não se importam mais com as palavras do agora quase um velho homem.

Mesmo os mais próximos, alguns me olham com desdém, velho maluco, devem pensar alguns, quanto pessimismo. Sim, ao menos pudessem ver apenas uma vez, e entenderiam então.
Lentamente meu blog chega ao seu fim. Tudo o que precisou ser dito já foi dito e o que ainda poderia ser contado, já não importa mais.
Fico feliz em saber que meus pensamentos aos poucos se apagam e que em breve restará apenas as lembranças do que precisa ser guardado.
(Siegmar)



Nenhum comentário:

Postar um comentário