''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




quinta-feira, 1 de março de 2012

QUANDO A JUSTIÇA É BURRA E CEGA AO MESMO TEMPO

Hoje uma pequena notícia me chamou a atenção.
Pude perceber o quanto estamos rodeados pela ignorância e por ignorantes,  incluindo até alguns de toga.
Juízes que deveriam honrar o poder que lhes foi dado por Deus, não fazer pouco caso e interpretar de modo ignorante até as escrituras.


Leiam o artigo abaixo e depois reflitam
sobre o que quero dizer e onde quero chegar. Uma pena que existam pessoas que sentem prazer em debochar e desvirtuar as Sagradas Escrituras.

Juiz recorre à Bíblia para negar indenização por espera em banco
 
Cascavel - O juiz Rosaldo Elias Pacagnan, do 1º Juizado Especial Cível da Comarca de Cascavel (PR),
recorreu à Bíblia e a um personagem de histórias em quadrinhos para rejeitar uma ação movida
por um advogado que pretendia ser indenizado pelo banco Bradesco por esperar 38 minutos na fila de atendimento.
"Tudo tem seu tempo determinado", sentenciou o juiz, citando o texto bíblico de Eclesiastes. "Há tempo de nascer
e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de colher o que se plantou".
Na sentença, o magistrado emendou: "Há tempo de ficar na fila, conforme-se com isso".
Para Pacagnan, "o dano moral não está posto para ser parametrizado pelos dengosos ou hipersensíveis".
Ele afirmou isso porque o autor colocou na petição que qualquer ser humano com capacidade de sentir emoção
"conseguirá perceber que não estamos diante de mero dissabor do cotidiano" ao se referir à demora do atendimento.
O magistrado reconheceu que a demora causou estresse, perda de tempo, angústia e até ausência para
a realização de necessidades básicas, mas afirmou que desde que ele -o próprio juiz- se "conhece por gente",
se considera bem humano e não tem redoma de vidro para protegê-lo. "Aliás, o único sujeito que conheço
que anda com essa tal redoma de vidro é o Astronauta, personagem das histórias em quadrinhos do Maurício de Souza;
ele sim, não pega fila, pois vive mais no espaço sideral do que na Terra", diz a sentença.
(Fonte - Umuarama ilustrado)

Infelizmente o ignorante parece conhecer apenas esta parte em particular da Sagrada Escritura.
Deveria ler um pouco mais e quem sabe encontraria também o que a Bíblia nos fala sobre e
diretamente para os grandes juízes da terra, como por exemplo as versículos que deixo abaixo:

"NÃO TORCERÁS A JUSTIÇA, NEM FARÁS ACEPÇÃO DE PESSOAS. NÃO TOMARÁS SUBORNOS, POIS O SUBORNO CEGA
OS OLHOS DOS SÁBIOS E PERVERTE AS PALAVRAS DOS JUSTOS.
SEGUE A JUSTIÇA E SÓ A JUSTIÇA, PARA QUE VIVAS E POSSUAS A TERRA QUE O SENHOR TEU DEUS TE DÁ."
Deuteronômio 16. 19-20

"ATÉ QUANDO DEFENDEREIS OS INJUSTOS E TOMAREIS PARTIDO AO LADO DOS ÍMPIOS? DEFENDEI A CAUSA DO FRACO
E DO ÓRFÃO; PROTEGE OS DIREITOS DO POBRE E DO OPRIMIDO. LIVRAI O FRACO E O NECESSITADO; TIRAI-OS DAS
MÃOS DOS ÍMPIOS. ELES NADA SABEM E NADA ENTENDEM. ANDAM EM TREVAS."
Salmo 82. 2-5

"AÍ DOS QUE JUSTIFICAM O ÍMPIO POR SUBORNO, E AO JUSTO NEGAM JUSTIÇA."
Isaias 5. 22-23

Talvez. se o "grande juiz" conhecesse estas passagens da Sagrada Escritura, e outras semelhantes, quem sabe ele
pensaria diferente e de maneira menos ignorante e vergonhosa?
Este juiz pode até conhecer os quadrinhos de Mauricio de Souza, mas das Escrituras definitivamente não conhece
absolutamente nada.
Siegmar

2 comentários:

  1. boa, Siegmar! Na veia!! Estamos vivendo uma época em que a "cultura" dos nossos magistrados não vai além das obras do Maurício de Souza...e, às vezes, nem mesmo isso... para ficar só nesse, viu a essência da última disputa entre eles, no julgamento sobre o fim da CPI das falências..? Grande e elevado diálogo: "O tom da discussão se elevou quando o desembargador Habith proferiu o voto.
    “Vossa Excelência [desembargador Luiz Lopes] parece que não está entendendo nada hoje”, disse Habith. “O senhor que não está entendendo o próprio voto”, retrucou Lopes." (G.P., 17 de Março.... sem falar no outro que deu graças a Deus por sair de férias e se aposentar... pensei que, quando o ambiente de trabalho é saudável e quando se ama o que se faz, não combina dar graças a Deus quando se vai tirar o time...

    ResponderExcluir
  2. Ah, caro Siegmar.. e tem mais... viu quem era o autor da ação, não é mesmo?? Um advogado... alguém que um juiz jamais terá condições de entender... e por isso despreza tanto... melhor ficar por aqui.

    ResponderExcluir