''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




quarta-feira, 12 de outubro de 2011

CAMINHANDO ENTRE AS FLORES

Quisera que todos os sonhos pudessem ser reais.
Lembro ter sonhado com caminhos, diversos caminhos.
Não sei interpretar sonhos, nem creio que devam ser interpretados,
mas fato é, que alguns nos deixam pensativos, maravilhados e pensativos.
Fico imaginando como não será o sono da morte.
Shakespeare certa vez escreveu, que morrer era dormir, nada mais, dormir e talvez sonhar.
E complementou seu pensamento com a pergunta, sobre que sonhos estranhos poderíamos
encontrar no sono da morte.
Ligeiramente ainda olho de relance para o relógio, quase onze horas.

Meus olhos se fecham e com eles vem o sono, o sonho e os caminhos.
Escuto trovões e vejo relampagos, caminho mas não sei onde estou, apenas caminho.
Um prado branco, com pássaros revoando bem distantes, lembro de pensar que seria maravilhoso poder voar junto com eles.
Estou entre o sono e os ultimos pensamentos, me lembro ainda de na realidade, ter escutado o som de uma tempestade se formando. Os raios e trovões foram apenas aumentados diante do meu sono profundo se aproximando.
Sempre tive medo de raios e trovões. Pode parecer infantil, pois sabemos que o perigo não são os trovões, mas tão somente os raios.
Tento prestar atenção, mas o sono vence a disputa, simplesmente adormeço e de alguma forma, continuo a caminhar.

O primeiro caminho parece ser um tapete de flores, receio andar sobre elas, são perfeitas e
belas demais. Mesmo em sonho, posso sentir seus perfumes.
Postei alguma imagens que encontrei depois de muito procurar aquelas que mais se aproximavam do meu sonho e dos meus caminhos.
Refletem um pouco deste sonho e caminhos.
Sim, é apenas um sonho, mas quase perfeito demais para ser apenas isso. Imagens criadas no meu subconsciente de formas cores e perfumes que passaram despercebidas por mim durante o dia.
Não sei por qual razão, talvez por ter reparado nas flores da praça durante minha caminhada?
Talvez por estar triste ao perceber que a natureza que nos cerca está sendo assassinada a cada dia mais?
Motivos não faltam, talvez tenha sido aquela pequena rosa solitária que me chamou a atenção dia desses,
ou o pequeno canteiro de amor perfeito já se desfazendo com os dias de calor e verão que se aproxima,
não importa, agradeço por este sonho, agradeço por todos os sonhos, mesmo quando me levam a caminhos desconhecidos e mais penosos.

Continuo andando em direção às flores, mas não precisei pisar sobre elas. De alguma forma elas abrem o caminho.
Fazendo surgir um novo caminho, desta vez, uma estrada cercada de flores, diferentes, mas igualmente lançando seus perfumes ao meu redor.
Parecem levar mata adentro. Mágicas, encantadoras, me fazem caminhar adiante.
Escuto sussuros que não entendo, será a suave brisa entre suas pétalas e folhas, ou será que as flores conversam entre si?
Acredito que sim, elas conversam entre si e se pudessem, falariam conosco também, aliás, elas podem, nós é que desaprendemos de as ouvir.
Me lembro da rosa do pequeno principe, me lembro da frase de Exupery; só se vê bem com o coração, o essencial
é invisível aos olhos. Deve ser assim com o ouvir, só se pode ouvir bem com o coração, o essencial se tornou inaudível para nossos ouvidos.

Eis que surge outro caminho, coberto por uma ligeira e suave névoa, mais perfumes, mais cores e encantos.
Me lembro que mesmo em sonho, penso; Meu Deus, não me deixe acordar.
Percebo que nem mais caminho, pareço pairar suavemente no ar, como se andasse sobre algodão.
Quantas maravilhas nossos olhos ainda não viram?
Quantos sons nossos ouvidos ainda nem escutaram?
Quantos milagres nos cercam e nem os percebemos mais?
Mistérios de Deus, um Deus maravilhoso repleto de transbordante bondade, graça e misericórdia.
Creio que estes belos caminhos nos levam até Ele. Deve ser assim, só pode ser assim,
pois não são caminhos de ouro e prata, mas caminhos de flores e perfumes.
Caminhos de beleza que não podem ser comparados com nada criado pelo homem, mas apenas por um Deus de bondade.
Lembro de outra frase, desta vez dita por Jesus; Olhai os lírios do campo, eles não tecem nem fiam, mas em verdade vos digo
que nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como qualquer um deles.

Vou adiante, uma pequena escada surge em minha frente. Mais flores, mais vida brotando ao meu redor.
Lentamente subo os degraus, curioso em saber o que me aguarda no topo.
E por um momento penso em como é o ser humano. Passa diante de mil belezas, corre, mal as percebe e está sempre querendo saber o que existe mais adiante.
Não seria o correto ficar aonde já está? Grato e cercado pelas maravilhas que lhe foram dadas e para ele criadas?
Não, o homem se tornou um eterno insatisfeito, indiferente com o que lhe cerca, não é mais capaz de apenas se acomodar e agradecer, precisa de mais, sempre mais.
Não mais lhe basta o que para ele foi criado e dado, precisa agora ele mesmo criar e inventar, mesmo quando tudo, jamais chegará aos pés da mais simples flor.
Seus olhos enchergam apenas o que sua mente permite, seu coração há muito tempo já cegou.

E eis que chego ao fim da escada. Meus olhos se maravilham com a visão. Querem olhar tudo ao mesmo tempo.
Correr, abraçar, tocar, sentir cada detalhe. Subir a montanha, me banhar nas águas e voar com os pássaros brancos.
E no exato momento em que me vem este pensamento, me lembro do início do meu sonho, os pássaros voando distantes,
os raios e trovões.
Tantos caminhos percorridos em apenas poucos minutos.
Tanta beleza diante de mim em uma vida inteira, que, igualmente não passa de poucos minutos.
Sei então, de alguma forma e com a absoluta certeza que Deus nos reserva maravilhas nunca antes vistas, muito menos sentidas.
Sim, mais uma frase me chega ao pensamento em sonho. A casa de meu Pai tem muitas moradas, irei em frente vos preparar a sua morada.
Como algumas pessoas podem ter se tornado tão solitárias em meio a tanta beleza e milagres?
Como podem algumas pessoas dizer que não são feliz, cercadas de tantas maravilhas?
São respostas perdidas dentro da própria armadura de arrogância com a qual se vestiram e soldaram em volta de seu corpo.

Acordo suavemente, meus olhos se abrem e reparo que apenas poucos minutos se passaram. O relógio parece continuar no exato ponto em que estava, quando fechei os meus olhos.
Imagino que e tempo seja um caminho de trilhos, sempre em unica direção. Cercado não de flores, mas de pedras.
As pedras que juntamos em nossa caminhada e após certo tempo, começa a pesar em nossa bagagem.
Caminhamos recolhendo pedras, não flores.
Sentimos o cheiro do suor de um trabalho infinito, que nos escraviza e não nos permite mais admirar flores e sentir os
seus perfumes.
As pedras pesam por se acumular na nossa eterna insatisfação. Sempre as pessoas precisam de novas pedras.
Algumas, cada vez maiores e mais pesadas.
Onze e doze se seguem no relógio. Penso em seu significado e em quão próximo estão e estamos.
Fico feliz por já há muito tempo ter parado de recolher pedras. Olho ao meu redor e vejo flores e perfumes.
Sim, eu consegui transformar a minha vida num pequeno jardim. Cercado de vida e olhos que me agradecem.
Eu sai dos trilhos. E mesmo não sendo perfeito, sei que hoje caminho entre as flores.
(Siegmar)

Um comentário:

  1. Você é realmente feliz pois consegue sonhar. Eu nunca lembro dos sonhos, pois dizem que todos sonham, mesmo que não se lembrem. Eu simplesmente não consigo lembrar.

    ResponderExcluir