''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




sexta-feira, 7 de outubro de 2011

DISTÚRBIO MORAL / O ESTADO DO PARANÁ ONLINE

Distúrbio moral

Enquanto Bibinho alega distúrbio mental para se safar da prisão que, convenhamos, seria mais do que justa e apropriada para este ladrão, a nossa assim chamada "justiça", vem sofrendo cada vez mais com um grave distúrbio moral. Bem disse a ministra do CNJ, Eliana Calmon, que os bandidos de toga que existem entre eles, acabam gerando a impunidade.
Verdade seja dita, infelizmente aumenta cada vez mais o numero de bandidos de toga, sofredores do terrível mal de distúrbio moral. Quanta vergonha ainda virá pela frente?

Nossa presidente, anda apenas preocupada em ajudar o mundo a sair da crise, enquanto fecha os olhos para os problemas e crises no Brasil. Crise na educação relapsa e deficiente, crise no setor de saúde pública, cada vez mais vergonhosa e crise principalmente na segurança. Minha sugestão a grande presidenta, é que envie aos europeus seus companheiros Lula, Zé Dirceu e Antonio Palocci, assim resolverá a crise de uma vez por todas.

Palocci poderá ensinar aos americanos e europeus como enriquecer e aumentar seus patrimonos 20 vezes em quatro anos, Lula transformará a crise numa marolinha e Zé Dirceu poderá instituir o mensalão da crise. Ao menos não haverá políticos em crise financeira por muitos anos espalhados pelo mundo. Esta mais do que na hora de todos criarem vergonha na cara, apenas isto é o que esta faltando, vergonha na cara da justiça, dos nossos governantes e da população em geral, que descaradamente ainda apóia toda esta pouca vergonha.
Siegmar Metzner, Curitiba

Nenhum comentário:

Postar um comentário