''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




quarta-feira, 27 de julho de 2011

MEU PEQUENO GRACIOSO

Hoje está completando quatro anos que Gracisoso está comigo.
Foi no dia 27 de julho de 2007 que o encontrei, junto com seu pequeno irmão, Castatinha, tinham recém sido abandonados na estrada da Gracioso.
Gracioso é o meu único gato aqui em casa. Fora ele, tenho ainda uma gatinha chamada Fifi, mas ela preferiu morar na casa dos vizinhos em frente de casa, e vem apenas fazer as suas refeições e depois vai embora. Na real, Fifi não gosta muito do Gracioso, ele da mesma forma, vivem se arranhando sempre que se encontram, assim, em protesto, Fifi um dia resolveu mudar de casa, melhor dizendo, resolveu ser freira, uma vez que optou por morar num noviciado que tem em frente da minha casa.
Atualmente chamo Fifi de minha gata católica.

Gracioso e Castatinha eram muito unidos, andavam sempre juntos, dormiam juntos e aprontavam juntos. Mas em dezembro fará um ano que Cascatinha desapareceu. Nunca soube o seu destino.
Gracioso é muito apegado, quando estou em casa, basta sentar e, lá esta ele pedindo colo. Na real, ele não pede, simplesmente pula e se acomoda. Quando não estou, ele tira as suas sonecas se deitando entre os cães na maior cara de pau. Ou ainda, adora dormir em cima do meu laptop. Algumas vezes procura fazer isso até mesmo quando estou tentando escrever ou trabalhar. Vivo precisando empurrá-lo para o lado.
Sinto saudades de Cascatinha, algumas vezes precisava dividir o colo para os dois ao mesmo tempo, era difícil, mas se dava um jeito.

Certo dia, bem no dia do meu aniversário os dois me trouxeram um presente, cada um trouxe um. Ao acordar, olhei ao lado do meu travesseiro e lá estava um dos presentes, um ratinho morto. Com o susto pulei da cama, e qual não foi minha surpresa, quando ao levantar o cobertor, lá estava o segundo cadáver de mais um ratinho. Os dois me olharam como se dissessem, "feliz aniversário".
Sempre gostei de gatos, da sua independência e liberdade. Mas no momento quero apenas cuidar bem do meu Gracioso. A rua onde moro é muito movimentada e já me tirou muitos amigos felinos. Gracioso mesmo, além de já ter sido atropelado, vive atravessando a rua.

Sei que a vida dos gatos domésticos em cidades não é muito longa, mas espero que Gracioso ainda viva muitos anos me fazendo companhia e companhia aos seus amigos cães.
Bom, hoje sou eu que deveria dar um ratinho de presente para o meu velho amigo felino, mas vou abrir uma latinha de atum, sei que ele vai dar umas boas lambidas e depois ronronar no meu colo, como todas as noites. Que estas noites se tornem eternas!
"Quão mais triste e solitário não seria o mundo sem os animais!"
(Siegmar)

Um comentário:

  1. Que legal. Pena que o Cascatinha não esteja mais aí. Mas aproveite bem o Gracioso. Ele é realmete gracioso.

    ResponderExcluir