''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




sexta-feira, 19 de agosto de 2011

MARCAS DO ABANDONO E DA INDIFERENÇA

A grande maioria dos cães abandonados fica realmente traumatizada com o ato do abandono.
Entre os meus cães, posso citar alguns exemplos.

Primeiramente Panda.

Esta é a foto de Panda quando foi doada. Quando completou 45 dias, eu a doei para uma família que "disse" ter se apaixonado por ela, e que cuidaria muito bem e etc...
15 dias após a doação, Panda foi abandonada por estes vermes. Simplesmente foi jogada dentro de um condomínio fechado, do outro lado da cidade. Ao menos tiveram a decência de jogar junto a carteirinha de vacinação de Panda. Como constava nela o meu nome e telefone, foi possível que eu a buscasse de volta.

Eu havia pedido para esta família, que caso ela não se adaptasse, ou eles se arrependessem, que a trouxessem de volta para mim. Mas para estes ignorantes, foi mais fácil simplesmente a jogar fora. Desde quando a resgatei, Panda é muito feliz, mas a cada vez que um estranho se aproxima, ela foge assustada até hoje, quase tres anos depois.
Panda visivilmente se lembra da doação e do que aconteceu nestes poucos dias em que ficou com estes estranhos. A história de Panda e do que aconteceu, está registrada neste blog com mais detalhes, basta pesquisar.

Outro exemplo, do trauma visível, é o caso da Tikinha. Igualmente ainda um filhote de uns 40 dias, foi jogada numa caçamba de entulho. O motorista ao menos teve a idéia de parar numa clínica veterinária e sob ameaça de a jogar na rua, a deixou na clínica.
Tikinha hoje está quase completando treze anos, mas ainda, ao escutar ou ver um caminhão com caçamba de entulho, se esconde, late sem parar e quando acontece de estar passeando na rua, tenta fugir apavorada. Algumas vezes, quando a levo para passear, em lugar mais tranquilo eu a solto da guia. Num destes passeios, ela viu a aproximação de um destes caminhões e não deu outra, correu até em casa, muito apavorada.
Cães tem sentimentos e lembranças, disto não há a menor dúvida.

Nina é o exemplo mais recente.

Foi abandonada dia 30 de dezembro do ano passado.
Muito carente, se apegou de uma forma incrível e parece ter um medo enorme de ser
novamente abandonada, não desgruda um minuto sequer quando estou em casa.
Quando percebe que vou sair, me rodeia o tempo inteiro, e chora muito quando me escuta fechar o portão. Diferente dos outros cães. Igualmente a alegria do meu retorno é para ela uma festa, algo quase indescritível.

Não sei o que leva uma pessoa a abandonar um animal. Se pura indiferença e ignorância ou pura maldade. Talvez tudo junto, sei lá!
O fato é que os animais sofrem, mesmo quando são de certa forma mal cuidados e não recebem atenção ou carinho, eles se apegam ao dono e a sua maneira amam estas pessoas que depois simplesmente as descartam como se fossem lixo.

Miucha sofreu muito nas ruas.

Quando a ví pela primeira vez, estava justamente sendo tocada de uma casa onde foi procurar ajuda para a sua dor e fome.
Por estar com feridas da sarna e muito magra, as pessoas simplesmente a tocavam como se fosse contagioso. Poucos pensam diferente e percebem que basta
fazer pouca coisa para ajudar um animal nesta situação, e que por debaixo destas cicatrizes, existe um belo animal, apenas procurando por ajuda.

Hoje, meses depois, ainda treme quando pego a vassoura ou o rodo ou silmplesmente junto algum pedaço de madeira. Se encolhe e treme, só sossega quando a afago e digo
que está tudo bem e quem ninguém irá machucá-la novamente.
O animal pensa, lembra de tudo. Podemos ter a certeza que sonham e apenas por isso, se pode deduzir que quando abandonados, sonham com seus donos e seu lar que não mais existe. O medo e confusão que devem sentir, quando repentinamente estão sózinhos, sem mais saber o caminho, para onde ir, deve ser algo terrível.

O abandono e maltrato deixam marcas na alma destes pequenos seres. A mesma marca que a indiferença deixa em nós. Ou o desprezo de alguém de quem gostamos.
É exatamente isto o que estas criaturas sentem, apenas não conseguem entender a razão,
o que torna tudo ainda mais doloroso para eles.
Assim, quando você adota um animal, o faça para a vida toda. Não abandone, mesmo que você não possa dar a devida atenção que ele merece, ao menos converse com ele algumas vezes, lhe dê ao menos um pouco de atenção. Pois pode estar certo de algo, ninguém, para nenhum outro ser vivo, você será tão importante quanto para este amigo silencioso.

Portanto, antes de adotar um animal por simples impulso, ou para satisfazer a vontade de um filho ou filha midados, ou por simplesmente achar o filhote lindo, lembre que ele irá crescer, que fará um xixi e um cocozinho em cima do tapete, que seu filho poderá perder o interesse alguns dias depois. Lembre que como todo filhote irá quere atenção, brincar, passear e destruir uns chinelos ou sapatos que encontrar pela frente. Lembre também, que este pequeno animal também poderá adoecer, precisará de cuidados veterinários, água fresca e ração sempre a sua disposição.

Adote para a vida toda, dentro de cada um de nós existe amor e carinho o suficiente para dividir com pessoas e animais. Jamais abandone seu melhor amigo.
Se precisar se desfazer dele por um motivo realmente grave, existem feirinhas de adoção, existem Ongs que conforme o motivo irão ajudar a resolver a situação. Procure amigos e conhecidos, alguém irá lhe ajudar.
Mas jamais o abandone à própria sorte, poucos encontram um novo lar. Em geral, depois de alguns dias nas ruas, abandonados e sem ter para onde ir, confusos e desorientados, sem abrigo e com medo, ficam depressivos e doentes. Em seguida, por terem perdido sua saúde, graça e beleza, são enxotados de porta em porta, até muitos morrerem atropelados ou de fome e sede.
Poucos tem a sorte de encontar um novo lar. É cada vez menor o numero de pessoas que de verdade ainda se importam e não se tornaram frias e indiferentes.
Lembre sempre, que dentro deste pequeno ser, existe uma alma, existem sentimentos,
como existem dentro de cada um de nós.
(Siegmar)

Um comentário:

  1. Palavras sábias. Quantas verdades. Pena que a maioria das pessoas não assimilem nada disso. Ter um vira-latas ainda parece sinal de pobreza para a maioria das pessoas. O importante é ter um cão com pedigree, ainda que, muitas vezes os abandonem também diante do primeiro problema.

    ResponderExcluir