''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




sábado, 16 de junho de 2012

ADEUS BELO MONTE, ADEUS XINGU !

Enquanto no Rio de Janeiro, assassinos, bandidos e corruptos se reúnem no que chamam de RIO+20, para discutir e criar leis e projetos para entrarem em vigor daqui a 20 ou 30 anos, e assim salvar o mundo, um rio e uma das mais belas paisagens esta sendo destruída em nome do "progresso".

As gigantes máquinas não param de chegar.
Lentamente invadem a selva e as árvores começam a cair, dando lugar a clareiras, enormes clareiras.
Lentamente as águas do rio se tornam barrentas, amargas e tudo parece sangrar.
Quem se importa? A futura geração? As crianças de agora, ocupadas demais com seus fones no ouvido, seu celular numa das mãos e seu tablet na outra? Seus pais ocupados demais em ganhar dinheiro?
Meia duzia de ambientalistas que sabem o mal que está sendo feito?
Sim, quem realmente se importa?
Quão hipócrita se tornou o ser humano.
Indiferentes ao dano que isso causa a mata, aos animais que nela tem seu habitat natural, e ao próprio homem.
Nossos moais estão sendo erguidos, um precisa ser maior do que o outro, não importa quantas árvores caírem os apodrecerem sob as águas.
Não importam os ninhos dos pássaros, não importa, nenhum dos pequenos seres que habitam entre folhas e tocas.
Tudo precisa ser destruído.
Mas eu escuto os gritos e os lamentos, não dos pequenos seres que agora fogem apavorados, nem dos índios, que desorientados não sabem, nem compreendem porque mais uma vez serão expulsos de suas terras e a contemplarão enquanto ela morre.
Escuto o grito e os lamentos dos que sobreviverem, do futuro dos que agora se calam e consentem.
Vejo a fome e a sede no rosto de seus filhos, escuto as perguntas e o amargo silêncio das respostas mudas.
Lágrimas rolam pela minha face enquanto escrevo e olho para as imagens. Mas não são lágrimas de tristeza, mas sim de pena pelo que estão fazendo, pena e raiva, pela cegueira e pela surdez do agora. Lágrimas pela estupidez e indiferença das pessoas.
Não consigo mais sofrer com o sofrimento alheio. Quando sobrevém as tragédias, aplaudo, vibro e dou graças a Deus. Mesmo que elas sobrevenham sobre mim, também sou parte da culpa.
A quem ainda importam minhas palavras? Meus protestos e indignações?
Nada posso mudar, só me resta assistir   calado em meu canto e esperar meu momento final chegar.
Me destruíram, assim como agora fazem com Belo Monte, vieram e me destruíram. Mas resisto, pelos que amo, eu ainda resisto.
Ao lado deste blog, existe uma pequena imagem postada há mais de um ano atras. "Salvem Belo Monte", diz sob a imagem. Agora sei que está obsoleta, nada mais significa, pois não há mais o que salvar.
Mas eu permitirei que ela continue lá para sempre, enquanto este blog existir.
Nada mais me resta a dizer, resta enxugar as lágrimas e continuar em frente.
Eu ainda consigo sentir o perfume das flores, sentir o calor do sol sob meus ombros, sentir a brisa suave em meu rosto, e o cheiro da brisa do mar numa praia. Ainda consigo ver a beleza dos animais, a fragilidade da vida, ainda sei o que é respeito, carinho e dignidade. Quantos ainda podem fazer o mesmo?
Eu vacilo a cada momento em minha fé, mas acima de tudo acredito no Criador, mesmo achando que Ele está distante e de nós se esqueceu, mas sei, tenho a certeza, que Ele está bem mais perto do que nunca antes esteve.
(Siegmar)


Nenhum comentário:

Postar um comentário