''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




domingo, 6 de maio de 2012

KAROL



KAROL
 
Nome estranho para uma cadela, mas não foi eu que dei este nome para ela. Eu a teria chamado de Julieta, mas
o nome mais apropriado mesmo seria "Penélope Charmosa."
Namorada do velho e gordo Pelé, Karol é a cadela mais independente que conheço.
Adora passear, e quando a solto da guia, lá vai ela, para onde bem entender, volta quando quer, e passa incontáveis
vezes pela gente fazendo de conta que nunca viu a nossa cara antes. "Não te conheço e nem quero papo."
Adora passar pelo meio das pernas da mulherada que encontra pelo caminho. Literalmente passar pelo meio das pernas
mesmo. De noite, após o jantar, adora brincar, adora que segurem a sua cauda e lhe façam cócegas.
Karol é meio Rusky. Mas só meio mesmo. É a cadela mais friorenta que conheço, mesmo no dia mais quente, se der chance,
ela se mete debaixo das cobertas. Fico pensando, se fosse deportada para a Sibéria, de onde vieram seus antepassados, Karol
estaria morta em dois dias. Impossível imaginar  Karol dormindo na neve, ao relento ou puxando um trenó.
Mas que ela é charmosa, isso é.
Karol se daria bem com qualquer outra pessoa e se sentiria a vontade em qualquer outra casa, lhe basta um pouco de atenção
e deixar ela dar umas voltinhas pelas ruas.
Karol é outra que adora fazer uma visita diária na casa da Teresa. Olhar e inspecionar as panelas que estão no fogão, olhar em
cima da mesa, enfim, na maior cara de pau mesmo.
Passo cada vergonha, ela age como se não recebesse alimentos em casa, coitadinha.
Karol já deve ter uns cinco para seis anos e é a eterna namorada do velho Pelé. Quando saio com os dois para passear, ainda é comum
ver o velho Pelé seguir a sua apaixonada por algum tempo. O problema é que o velhinho não tem mais a mesma agilidade de anos atras.
Karol come pouco, ao menos bem menos que os outros cães. De alguma forma é isso que a mantém elegante e charmosa.
Será que existe vaidade canina também?
(Siegmar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário