''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




domingo, 6 de maio de 2012

RITINHA



RITINHA

Bom astral, alegria, sai da frente que lá venho eu, festa, bagunça, barulho, a vida é maravilhosa, tudo isso e muito
mais, tudo o que representa felicidade e alegria, são sinonimos da pequena Ritinha.
Sabem aquele tipo de pessoas para quem não existe tempo ruim? Assim é a Ritinha.
Minha Marley em pessoa, ou melhor, em pelos e ossos.
Broncas com  ela não adiantam, e olha que vive merecendo algumas, mas não esta nem aí.
Pular, lamber a gente, sujar nossa roupa, aprontar, tudo faz parte da Ritinha e é considerado por ela como
completamente normal.
Se um dia ela precisasse de ser adotada, teria que ser alguém que realmente adora cães malucos e 
desobedientes. Tipo eu mesmo. Teria que ser alguém que adora desorganização, desleixado e bagunceiro.
Isso tudo combina com a Ritinha.
A menina deve ter uns quatro anos com certeza, mas representa o eterno filhote brincalhão e provocador.
Já a observei atazanando os mais velhos de propósito, já levou uma surra de todos os outros, mas vive provocando.
Incorrigível, esta é a palavra que melhor a descreve.
Mas é impossível não amar esta diabinha.
Creio que um dia irá sossegar um pouco. Tikinha era assim quando pequena, hoje é calma e comportada.
Espero que Ritinha siga o exemplo da amiga mais velha.
Realmente, de todos os meus cães, de todos os que já passaram pela minha vida, nenhum outro me fez rir
tanto e ficar com raiva tantas vezes quanto a Ritinha. Simplesmente nenhum.
Algumas vezes fiquei louco para achar um novo dono para ela, mas isso seria uma maldade, não com ela, mas
com o coitado ou coitada que fosse a adotar.
Bom, não há outra forma de descrever a Ritinha, ela é a "menina maluquinha" em forma de cachorro.
Marley era um santo perto dela, creio até que o capetinha era mais comportado.
(Siegmar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário