''DO NOT ABANDON YOUR BEST FRIEND''

O CÃO É O ÚNICO QUE NÃO SE IMPORTA SE VOCÊ É RICO OU POBRE, BONITO OU FEIO. O CÃO É O ÚNICO QUE REALMENTE SENTE A TUA AUSÊNCIA E SE ALEGRA DE VERDADE COM O TEU RETORNO, PORTANTO, JAMAIS ABANDONE SEU MELHOR AMIGO.



UM RAIO DE LUZ

''UMA ANTIGA LENDA DIZ QUE QUANDO UM SER HUMANO ACOLHE E PROTEGE UM CÃO ATÉ O DIA DE SUA MORTE, UM RAIO DE LUZ, QUE NÃO PODEMOS ENXERGAR DESTE PLANO DA EXISTÊNCIA, ILUMINA O CAMINHO DESTE SER PARA SEMPRE!''




domingo, 12 de agosto de 2012

OS DIFERENTES ROSTOS DA VERDADEIRA VITÓRIA

Rostos jovens e sorridentes. Um sonho realizado. A alegria de uma medalha. Estas são verdadeiras expressões de alegria de pessoas que competiram e venceram. Não chegaram em primeiro lugar, ficaram em terceiro, mas para eles, a medalha de bronze significa ouro.
Alegria de competir, de representar, de sonhar com uma simples medalha de bronze e saber sorrir quando o sonho se realiza.
Importa não ser o melhor, importa estar lá, viver o momento e mostrar o orgulho de ter chegado ao pódio.
Estes jovens são verdadeiros atletas. Em seu coração bate o espírito olímpico, em seus rostos resplandece a alegria de uma grande vitória. Yane Marques e Cesar Cielo sabem disso, nunca esquecerão este momento, mesmo que um dia venha a medalha de ouro, mas este momento, esta medalha, nunca serão esquecidos.
Mas existem outros rostos, rostos da derrota, da raiva, do não saber competir, do sempre querer ser o melhor, o maior. O rosto da arrogância e da insatisfação. Aqui a medalha é de prata, vale mais do que bronze, mas precisava ser ouro, prata, para estes ignorantes não tem valor. Assim como competir e representar também não tiveram valor algum. A arrogância do sempre ser o maior ofusca sonhos e frusta, machuca e impede que vejam sua própria vitória. Neimar poderia simplesmente continuar a sonhar, mas a prepotência e arrogância já há muito tempo o cegaram. Ser o "grande" Neimar lhe impede de ver a humildade, a simplicidade e o valor de uma medalha. Só se for de ouro, as outras para ele não tem valor algum, isto fica estampado em seu rosto. Bernardinho é outro prepotente. Vencer, vencer, e vencer. Sempre, eternamente ser o primeiro, ah, a arrogância novamente. Venderia sua alma por uma medalha, mas teria que ser de ouro, lógico, as outras igualmente para ele não tem valor.
E assim termina a Olimpíada de 2012.
Rostos sinceros e verdadeiros, expressando alegria e vitória, mesmo na derrota. Mas rostos vencedores e orgulhosos.
Termina também com rostos falsos, rancorosos, infelizes e insatisfeitos. Para estes, o sabor da vitória foi de derrota. Mesmo que um dia venham a receber a medalha de ouro, perderam o momento, jamais saberão brilhar na alegria e na simplicidade de simplesmente competir e viver humildemente.
(Siegmar)

Nenhum comentário:

Postar um comentário